Quarta-feira, 3 de Outubro de 2012

Os limites e contradições da democracia ateniense

Os detentores de tais direitos eram os cidadãos. Porém, só eram considerados cidadãos os indivíduos livres (não-escravos) do sexo masculino, filhos de pai e mãe ateniense, maiores de dezoito anos e com serviço militar (de dois anos) cumprido. Esses representavam apenas um estrato da população, de modo algum a totalidade. “Em 430 a.C., 30.000 cidadãos, 120.000 familiares, 50.000 metecos, 100.000 escravos, o que dá, para cerca de 300.000 habitantes da Ática, apenas cerca de 10% da população” (Pereira, 1998). Os pequenos comerciantes, marinheiros, lavradores, artesãos, é que constituíam a maioria da população. Assim, a democracia tornava-se o governo da minoria, e não da maioria.

Em consequência desta contradição, ficavam excluídos dos direitos políticos as mulheres, os metecos (e suas famílias) e os escravos.

Era uma sociedade desigual e esclavagista, o que contradiz os princípios da noção actual de democracia.

Apesar disso, “a incorporação de tais pessoas na comunidade política como membros de pleno direito, novidade surpreendente no seu tempo, raramente repetida depois, salva, por assim dizer, parte do sentido da democracia antiga” (Finley, 1988). Além disso, “o princípio da igualdade natural de todos os homens – livres ou escravos – foi proposto pela primeira vez no séc. IV a.C., por um Sofista grego, Alcidamante, e o da igualdade entre homens e mulheres para as mais altas tarefas da polis é, como se sabe, uma das teses sustentadas por Platão na República” (Pereira, 1998).

 

  1. Com base no documento, explicite as principais restrições à democracia plena existente no regime ateniense.
Publicado por História às 00:41
| Comentar
17 comentários:
De Ana a 10 de Março de 2009 às 20:58
As principais limitações da democracia ateniense eram:
- o direito à cidadania; a democracia ateniense excluia grande parte da população de Atenas. Mulheres, metecos e escravos.

- A existência de escravatura num regime político que diz que todos são iguais;

- O imperialismo não respeita os direitos dos outros;

-Ostracismo não permitia a liberdade de expressão porque as pessoas eram expulsas por motivos "parvos" e não se podiam defender


De Francisca Almeida a 26 de Outubro de 2009 às 20:46

As restrições eram:
--> Regime politico que diz que todos os cidadãos são iguais, no entanto isso nao acontecia;
-->A democracia funcionava so para um pequeno grupo, visto que a participação democrática estava, reservada a uma escassa minoria. em que mulheres, escravos e metecos nao tinham o direito de intervir;
--> Os escravos nao tinham qualquer direito, nem eram considerados seres humanos;
--> As mulheres não eram donas de si mesmas, porque alguem teria que ter a sua tutela;
-->Os metecos estavam impedidos de participar no governo, desposar uma ateniense e possuir terras e bens. Porem eram obrigados a pagar impostos.


De Carolina Ribeiro, Philippe Costa a 11 de Novembro de 2009 às 17:05
As restrições á democracia plena existente no regime ateniense fala numa grande restriçao da população, pois apenas funcionava para um pequeno grupo, visto que a participação democrática estava, reservada a uma escassa minoria, em que mulheres, escravos e metecos não tinham o direito de intervir. Os escravos não possuiam qualquer direito politico, pois nem seres humanos eram considerados. As mulheres tinham que obedecer aos homens, perdendo todos os direitos politicos. Tinham uma vida bastante recolhida, pois dedicavam-se somente a trabalhos domesticos e á educação dos seus filhos. Aos metecos a lei impedia-os de participar no governo, desposar uma ateniense e possuir terras ou casas. Porem eram obrigados a pagar impostos, o metecio, e tambem eram obrigados a prestar serviço militar. Estes tambem desempenhavam um papel economico de alguma importancia, assegurando trocas comerciais e grande parte da produção artesanal.


De Ana M. Joana S. a 11 de Novembro de 2009 às 17:11
As principais restrições a democracia no regime ateniense são:
- A desigualdade dos sexos, ou seja, a superioridade dos homens em relação á inferioridade das mulheres;
-Os cidadão tinham de ser filhos de pai e mãe atenienses;
- O impedimento dos metecos de participar no governo, contudo serem obrigados a contribuir com impostos;
- A lei não reconhecia personalidade civil aos escravos, eram considerados apenas uma mercadoria;



De Joana Alves e Francisca Almeida a 11 de Novembro de 2009 às 17:21


Tanto mulheres, escravos e metécos não tinham qualquer direito, embora alguns tivessem deveres.
As mulheres serviam para cuidar das crianças, dedicar-se ao trabalho doméstico e estavam sujeitas à tutela do marido (pai ou filho mais velho). não tinham qualquer direito de administrarem os seus bens. As mulheres habitavam a maioria do tempo no gineceu acompanhadas pelas escravas, sem que pudessem assistir a reuniões dadas pelo marido à excepção de grandes festas religiosas.
Os escravos eram considerados animais, teriam de obedecer ao seu dono trabalhando nos serviços domésticos , campos, oficinas e minas.
Os metécos tinham de pagar impostos, espectáculos e celebrações. Cumpriam serviço militar, mas no entanto não eram considerados cidadãos atenienses.
Estes são as restrições da democracia ateniense.


De Tânia Silva a 18 de Novembro de 2009 às 00:40
Só os que eram considerados cidadãos é que tinham direito à democracia. Mas só eram considerados cidadãos os indivíduos do sexo masculino, com mais de 20 anos de idade, filhos de pai e mãe atenienses e com dois anos de serviço militar. As mulheres, os metecos e as suas famílias e os escravos ficavam excluídos dos direitos políticos. Era uma sociedade desigual, o que vai contra a noção actual de democracia.


De Michèle Riccobono a 18 de Novembro de 2009 às 15:31
A Ática teria, na segunda metade do século V a.C., uma população de cerca de 400 000 habitantes. Destes, apenas 40 000 eram cidadãos atenienses. Juntamente com as mulheres e filhos, os cidadãos deveriam formar um conjunto de 120 000 pessoas. Mas as mulheres não contam politicamente. Eram apenas mulheres, não eram cidadãs.
Tinham o estatuto de cidadão os indivíduos de sexo masculino, filhos de pai e mãe atenienses, aos quais estavam reservados, a governação da cidade e outros privilégios. Os metecos tinham participação na vida politica mas não eram considerados cidadãos. Por fim, em maior quantidade, 200 000 escravos despojados de todos os direitos e até da sua condição de ser humano.



De Estefânia e Diana a 18 de Novembro de 2009 às 16:31
A Democracia Ateniense destinava-se a um grupo restrito da população, ou seja, só os indivíduos do sexo masculino com idade superior a vinte anos, com o serviço militar cumprido e filhos de pais atenienses é que eram considerados cidadãos, podendo assim participar activamente na vida política.
Posto isto, nem toda a população que fazia parte da cidade tinha o direito de participar no regime político, pois alguns indivíduos não eram considerados cidadãos, como as mulheres, os estrangeiros e os escravos. Assim sendo, as mulheres tinham como papel cuidar da vida doméstica e da vida familiar, assistir às festas no templo de Hera, ser discreta e sendo sujeita à tutela do pai, marido e filho mais velho. Relativamente aos estrangeiros, destinavam-se ao exercício do comércio e do artesanato, participavam nas festividades, pagavam impostos, tinham de cumprir o serviço militar e custeavam os espectáculos e celebrações. Quanto aos escravos, tinham de ser submissos ao dono e trabalhar nos serviços domésticos, campos, oficinas e minas.


De Carolina ; Mónca ; Philippe :D a 18 de Novembro de 2009 às 16:50
As restrições á democracia plena existente no regime ateniense fala numa grande restriçao da população, pois apenas funcionava para um pequeno grupo, visto que a participação democrática estava, reservada a uma escassa minoria, em que mulheres, escravos e metecos não tinham o direito de intervir. Os escravos não possuiam qualquer direito politico, pois nem seres humanos eram considerados. As mulheres tinham que obedecer aos homens, perdendo todos os direitos politicos. Tinham uma vida bastante recolhida, pois dedicavam-se somente a trabalhos domesticos e á educação dos seus filhos. Aos metecos a lei impedia-os de participar no governo, desposar uma ateniense e possuir terras ou casas. Porem eram obrigados a pagar impostos, o metecio, e tambem eram obrigados a prestar serviço militar. Estes tambem desempenhavam um papel economico de alguma importancia, assegurando trocas comerciais e grande parte da produção artesanal.


De Catarina Bastos e Óscar Henriques a 18 de Novembro de 2009 às 17:14
Apesar de a maioria da população ser constituída por escravos, mulheres e metecos , estes últimos são extremamente importantes, na medida em que eram eles que se dedicavam as actividades artesanal e comercial. estes não possuíam qualquer direito de participação democrática.
Os metecos ou estrangeiros tinham a sua vida muito dificultada na pólis .</a> A sua condição de "estrangeiros" era hereditária, ou seja, passava de pais para filhos, não podiam possuir bens, tinham de cumprir o serviço militar mas eram também obrigados a pagar impostos, o chamado meteco .
No entanto, podiam participar nas festividades.
Os escravos, esses nem eram considerados pessoas, eram muitas vezes equiparados a animais. Representavam cerca de metade da população. A lei não lhes reconhecia personalidade civil, não eram autorizados a possuir bens, família e tinham obedecer ao seu dono.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Apesar de a maioria da população ser constituída por escravos, mulheres e metecos , estes últimos são extremamente importantes, na medida em que eram eles que se dedicavam as actividades artesanal e comercial. estes não possuíam qualquer direito de participação democrática. <BR>Os metecos ou estrangeiros tinham a sua vida muito dificultada na pólis .</A> A sua condição de "estrangeiros" era hereditária, ou seja, passava de pais para filhos, não podiam possuir bens, tinham de cumprir o serviço militar mas eram também obrigados a pagar impostos, o chamado meteco . <BR>No entanto, podiam participar nas festividades. <BR>Os escravos, esses nem eram considerados pessoas, eram muitas vezes equiparados a animais. Representavam cerca de metade da população. A lei não lhes reconhecia personalidade civil, não eram autorizados a possuir bens, família e tinham obedecer ao seu dono. <BR class=incorrect <a name="incorrect">Tabalhavam</A> essencialmente nos serviços domésticos, campos e minas. <BR>As mulheres, poucos ou nenhuns direitos possuíam. A lei remetia-as a uma vida recolhida, onde se dedicavam aos trabalhos domésticos e à educação das crianças. Não tinham autoridade nem podiam possuir bens. Eram sempre subjugadas à imagem masculina, primeiramente ao pai, depois ao marido e até aos filhos. Podiam, no entanto, assistir às festividades. <BR>Mas então, se esta é a maioria da população e se vê excluída do vida política, a quem compete a participação política da pólis .</A> <BR>Ao cidadão. E quem era o cidadão? <BR>Cidadão era todo o homem, com mais de 20 anos, filho de pai e de mãe ateniense e já com o serviço militar cumprido. Só a estes estava reservados os direitos de acesso a cargos políticos, o uso da palavra e a igualdade perante a lei. Só estes podiam possuir bens. Esta é então a democracia ateniense do sec , V a.C. <BR>Nos dias de hoje, as coisas estão um pouco diferentes. A estratificação da população já não obedece a estas características, felizmente. <BR>Hoje em dia, somos todos iguais perante a lei, ou seja, temos todos os mesmos direitos e deveres . <BR>No entanto, tal como na democracia de Atenas, nem todos podemos participar na vida activa do nosso país. Mas, podemos eleger as pessoas que nos transmitam maior confiança para representar os nossos interesses o melhor possível no nosso governo, na nossa democracia.


Comentar post

Externato Luís de Camões

Pesquisar

 

Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Posts recentes

Guia de estudo para o exa...

Guia de estudo para o tes...

Apresentação "Do autorita...

Caderno Diário "Do autori...

A Revolução de Abril

A liberalização fracassad...

Continuidade e evolução

O isolamento internaciona...

A defesa da independência...

A defesa do Ultramar

A solução para o Ultramar

O sobressalto político de...

Apresentação "Os Totalita...

O Estalinismo

O Estado Novo

O Nazismo

O Fascismo

As consequências da Grand...

A Grande Depressão dos an...

Caderno Diário "A Grande ...

Os "loucos anos 20" e as ...

Caderno Diário "Mutações ...

A falência da Primeira Re...

O agravamento da instabil...

Caderno Diário "Portugal ...

Caderno Diário "As transf...

Da depressão económica à ...

Guia de estudo: As Revolu...

Guia de estudo: A Filosof...

Guia de estudo: O Absolut...

Guia de estudo: A Socieda...

Trabalho de pesquisa - A ...

Trabalho de pesquisa - A ...

Trabalho de pesquisa - A ...

Exercício 5 - A Declaraçã...

Exercício 3 - Manifestaçõ...

Exercício 2 - O Absolutis...

Exercício 1 - A Sociedade...

Do Absolutismo às Revoluç...

Guia de estudo: Humanismo...

Arquivos

Junho 2013

Abril 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Outubro 2007

Ligações